terça-feira, julho 14, 2015

Jogador identificado na quinta série - Rafael Carneiro Vasques

Estava eu, em 2003, dando aula de História para a quinta-série da Escola Municipal Alvino Hosken de Oliveira (Poços de Caldas - MG), quando vejo, no fundo da sala, um aluno lendo o Livro do Jogador do RPG Dungeons & Dragons. Chamei-o pelo nome e disse: "Depois conversamos sobre D&D". Ele olhou-me arregalado e perguntou: "O senhor joga RPG?". Respondi afirmativamente e ele logo voltou a prestar atenção na aula.
Anos depois, no fim de meu mestrado (iniciado em 2005), fui convidado pela UJS (União da Juventude Socialista) de Poços de Caldas para falar sobre Karl Marx. Durante o curso, reencontrei o aluno e conversamos um pouco.
Perdi o contato com ele, mas achei curioso reencontrá-lo durante uma palestra. Nesta história, dois elementos chamaram minha atenção:
1) A idade padrão na quinta série é de 11/12 anos. Este jovem estava com um livro de centenas de páginas, com uma letra pequena e muita informação cultural, matemática, lúdica, descritiva e abstrata. A ideia de que jovens não gostam de ler não se sustenta quando se vê um jovem lendo um livro que, pelo seu tamanho, assustaria as pessoas.
2) Há alguma relação entre RPG e o debate? Alguém que joga RPG é estimulado a participar de debates pela natureza comunicativa do jogo?
Não tenho resposta para estas perguntas, mas foi significativo encontrar um aluno de 11/12 com um livro grande e complexo nas mãos, por conta própria. Para criar suas próprias histórias e imaginá-las com os amigos.

Player identified in the fifth grade
It was 2003, I was teaching History for the fifth grade of the Municipal School Alvino Hosken de Oliveira (Poços de Caldas - MG), and then I saw, in the back of the classroom,
a student reading the Player's Handbook RPG Dungeons & Dragons . I called him by his name and said: "we talk about D & D later". He looked at me wide-eyed and said: "Do you play RPG?".
I said "yes" and he soon returned to pay attention in the class.
Years later, after my master's degree (started in 2005), I was invited by UJS (Socialist Youth Union) of Poços de Caldas to talk about Karl Marx.
During the course, I met that student again and talked with him for a while.
I lost touch with him, but I found curious meeting him again during a lecture. In this story, two elements caught my attention:
1) The default age in the fifth grade if of 11/12 years. This young boy was with a book of hundreds of pages, with a small letter and a lot of cultural, 
mathematics, ludic, descriptive and abstract information. The idea that young people do not like reading does not stand when you see a young boy
reading a book that, by its size, frighten people.
2) Is there any relationship between RPG and debate? Someone playing RPG is encouraged to participate in debates by the communicative nature of the game?
I have no answers to these questions, but it was significant finding a student of 11/12 years old with a large and complex book in his hands, on his own.
To create his own stories and imagine them with friends.

3 comentários:

Gilson Rocha disse...

Muito bacana, Rafael! Estou escrevendo para divulgar nos contatos de RPG e educação. Umas sugestões:
- O fundo com imagem prejudica a leitura;
- Deixar o contato (email) em texto na página inicial do blog, justamente para enviarmos os relatos.

E por onde envio meu relato?

Gilson

rafael carneiro vasques disse...

Fala, Gilson, tudo bem?
Arrumei o fundo e coloquei o e-mail para contato na descrição do blog.
Obrigado pela dica, pela divulgação e aguardo seus relatos.
Abraços,
Rafael.

Gilson Rocha disse...

Acabei de enviar meu relato. Também fiz a postagem em http://rpgsimples.blogspot.com.br/2015/07/relatos-de-experiencias-com-jogos-de-rpg.html

Ah, é bom divulgar no agregador de blogs: www.rpg.net.br/blogs

Abraços!

Gilson